Quando aconteceu a mutação?

Recebido por email.
Cenário 1: João não fica quieto na sala de aula, interrompe e perturba os colegas.
·        Ano 1959: É mandado à sala da Diretoria, fica esperando 1 hora, vem o diretor, lhe dá uma bronca descomunal e até umas reguadas nas mãos e volta tranqüilo à classe. Esconde o fato dos pais com medo de apanhar mais. Pronto.
·        Ano 2011: É mandado ao Departamento de Psiquiatria, o diagnosticam como hiperativo, com transtornos de ansiedade e déficit de atenção em ADD, o psiquiatra receita  Rivotril. Transforma-se num zumbi. Os pais reivindicam uma subvenção por ter um filho incapaz e processam o colégio.
Cenário 2: Luis, de sacanagem quebra o farol de um carro, no seu bairro.
·        Ano 1959: Seu pai tira a cinta e lhe aplica umas sonoras bordoadas no traseiro. Ao Luis nem lhe passa pela cabeça fazer outra nova “cagada”, cresce normalmente, vai à universidade e se transforma num profissional de sucesso.
·        Ano 2011: Prendem o pai de Luis por maus tratose e condenam a 5 anos de reclusão e, por 15 anos deve abster-se de ver seu  filho. Sem o guia de uma  figura paterna, Luis se volta para a droga, delinqüe e fica preso num presídio especial para adolescentes. 
Cenário 3: José cai enquanto corria no pátio do colégio, machuca o joelho. Sua professora Maria, o encontra chorando e o abraça para confortá-lo…
·        Ano 1959: Rapidamente, João se sente melhor e continua brincando.
·        Ano 2011: A professora Maria é acusada de não cuidar das crianças. José passa cinco anos em terapia pelo susto e seus pais processam o colégio por danos psicológicos e a professora por negligência, ganhando os dois juízos. Maria renuncia à docência, entra em aguda depressão e se suicida…
Cenário 4: Disciplina escolar
·        Ano 1959: Fazíamos bagunça na classe… O professor nos dava uma boa “mijada” e/ou encaminhava para a direção; chegando em casa, nosso velho nos castigava sem piedade e no resto da semana não incomodávamos mais ninguém.
·        Ano 2011: Fazemos bagunça na classe. O professor nos pede desculpas por repreender-nos e fica com a culpa por fazê-lo. Nosso velho vai até o colégio dar queixa do professor e para consolá-lo compra uma moto para o filhinho.
Cenário 5: Horário de Verão.
·        Ano 1959: Chega o dia de mudança de horário de inverno para horário de verão. Nada acontece.
·        Ano 2011: Chega o dia de mudança de horário de inverno para horário de verão. A gente sofre transtornos de sono, depressão, falta de apetite, nas mulheres aparece até celulite.
Cenário 6: Fim das férias.
·        Ano 1959: Depois de passar férias com toda a família enfiados num Gordini ou Fusca, é hora de voltar após 15 dias de sol na praia. No dia seguinte se trabalha e tudo bem.
·        Ano 2011: Depois de voltar de Cancun, numa viagem ‘all inclusive’, terminam as férias e a gente sofre da síndrome do abandono, “panic attack”, seborréia, e ainda precisa de mais 15 dias de readaptação…
Cenário 7: Saúde.
·        Ano 1959: Quando ficávamos doentes, íamos ao INPS aguardávamos 2 horas para sermos atendidos, não pagávamos nada, tomávamos os remédios e melhorávamos.
·        Ano 2011: Pagamos uma fortuna por plano de saúde. Quando fazemos uma distensão muscular, conseguimos uma consulta VIP para daqui a 3 meses, o médico ortopedista vê uma pintinha no nosso nariz, acha que é câncer, nos indica um amigo dermatologista que pede uma biópsia, e nos indica um amigo oftalmologista porque acha que temos uma deficiência visual.  Fazemos quimioterapia, usamos óculos e depois de dois anos e mais 15 consultas, melhoramos da distensão muscular.
Cenário 8: Trabalho.
·        Ano 1959: O funcionário era “pego”  fazendo cera (fazendo nada). Tomava uma regada do chefe, ficava com vergonha e ia trabalhar.
·        Ano 2011: O funcionário pego “desestressando” é abordado gentilmente pelo chefe que pergunta se ele está passando bem. O funcionário acusa-o de bullying e assédio moral, processa a empresa que toma uma multa, o funcionário é indenizado e o chefe é demitido.
Cenário 9: Assédio.
·        Ano 1959: A colega gostosona recebe uma cantada de Ricardo. Ela reclama, faz charminho mas fica envaidecida, saem para jantar, namoram e se casam.
·         Ano 2011: Ricardo admira as pernas da colega gostosona quando ela
 nem está olhando, ela o processa por assédio sexual, ele é condenado a
 prestar serviços comunitários. Ela recebe indenização, terapia e proteção
 paga pelo estado. 
  

Pergunta-se:
  
EM QUE MOMENTO FOI, ENTRE 1959 E 2011, QUE NOS TRANSFORMAMOS NESTE BANDO DE BOSTAS? 
Anúncios

1 comentário

Arquivado em bobagens

Reflexões sobre consumismo

Publicado originalmente aqui: http://danielbiologo.wordpress.com/

Na fila do supermercado, o caixa diz para uma senhora idosa:
– A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis ao meio ambiente.

A senhora pediu desculpas e disse:
– Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu:
– Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se
preocupou o suficiente com nosso meio ambiente.
– Você está certo – responde a velha senhora, nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente.

Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo.

Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhamos até o comércio, em vez de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.
Mas você está certo, nós não nos preocupávamos com o meio ambiente.

Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade, não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias.
Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plastico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.
Mas você tem razão, não havia naquela época preocupação com o meio ambiente.

Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos.
Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos descartáveis’ e poluentes só porque a lámina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época.
Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos(as) iam em suas Bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.

Deixe um comentário

Arquivado em bobagens

No dia 3, vista-se de azul

Fazia horas que não recebia emails do tipo “bobagens úteis” que merecessem figurar aqui. Mas hoje recebi de um cliente.

Os emails da oposição ao PT sempe começam bem, para logo depois escorregar na ‘doença, no fanatismo, no exagero’.

VAMOS VESTIR AZUL, NO DIA 03OUT?

Não importa se vc vai votar em Serra ou em Marina. Se você é contra a candidata Dilma, do PT, VISTA-SE DE AZUL NO DIA 3.
ATENÇÃO

ESTA ÓTIMA IDÉIA QUE PODERÁ SERVIR DE ANTÍDOTO NO DIA DAS ELEIÇÕES.

VAMOS INUNDAR AS NOSSAS CIDADES COM NOSSAS CAMISAS AZUIS. USE O QUE TIVER DE AZUL EM SEU GUARDA-ROUPA E ENTÃO, PODEREMOS DETECTAR EM PARTE, ESTA TÃO GRANDE DIFERENÇA QUE OS INSTITUTOS DE PESQUISA ESTÃO APRESENTANDO A FAVOR DO VERMELHO.

Até aqui, tudo bem.

ESPALHEM A IDÉIA. PODERÁ SER DE GRANDE VALIA ANTE O RESULTADO DESTAS “URNAS ELETRÔNICAS” QUE

NÃO OFERECEM FORMA CRÍVEL DE CONFERÊNCIA. (???? – Tem gente que ainda duvida da veracidade das urnas eletrõnicas????) PODEMOS TRANSFORMAR ISSO EM UM GRANDE MOVIMENTO!!

QUEM NÃO ASSINOU O MANIFESTO AINDA, POR FAVOR, FAÇA-O AGORA!

Para assinar o Manifesto em Defesa da Democracia, clique

http://manifestoemdefesadademocracia.wordpress.com/

Em defesa da “democracia”? É sempre esse mesmo papo… O PT é anti-democrata, está “preparando” o Estado para uma ditadura, mas aí entra ano, melhor cada 2 anos, temos eleição de novo, tudo dentro do espírito democrático. Tudo menos o fato de que quem perde não aceita…

Vestir Azul  – PODE FUNCIONAR!!!

Collor, ao se ver ameaçado, convocou a População para ir às ruas vestida de verde e amarelo, numa demonstração de apoio.

O Povo brasileiro saiu de preto e deixou transparecer seu modo de pensar.

Hoje vivemos com um fantasma a nos atormentar. O PT estaria manipulando pesquisas, com a intenção de alterar resultados, entrando no sistema das Urnas Eletrônicas.

O PT “manipulando as pesquisas”? Mas logo o PT que tem a grande mídia contra ele? Veja, Folha de São Paulo, quase todo mundo é contra. A Veja faz reportagem anti-PT toda semana, faz 8 anos.

Plano perfeito. Resultado anunciado, de acordo com números das Pesquisas. Ninguém desconfiaria de nada. Aqui eu dei gargalhada. Como é que pode tamanha paranóia? Como é que conseguem “combinar” com todos os eleitores? Ah, claro, a urna não é confiável… Como é que será que o Lula ganhou? Como é que será que “deixaram”?

Devaneio? Teoria da Conspiração? Loucura?

Pode ser… Mas como descobrir, se as famigeradas máquinas não dão direito a conferência de votos? E segue o delírio. Será que esse pessoal bate na porta do banco à noite para perguntar se estão fazendo tudo certinho na conta dele? Porque não dá para confiar nessas máquinas…

Existe um antídoto, a esse veneno que paira no ar. Sair novamente às ruas, mostrando através das roupas, o que realmente queremos?

No dia 03 de outubro, quem não votar em Dilma, saia vestindo Azul. A cor da Paz, da Liberdade e da Verdade. Aqui, de novo, o grande erro da oposição ao PT. “Paz, Liberdade, Verdade”. O resto é mentira, falta de liberdade e guerra? Quem conseguem cooptar com esse discurso, ofendendo? Só aqueles que já são contra o PT mesmo. É o tipo de email que é completamente inócuo. Mas como as pessoas que repassem não estão no seu juízo normal, então ficamos assim mesmo. Quem é contra alguma coisa, do tipo “anti-PT” ou “anti” qualquer coisa, está tão obsecado nesse pensamento que não consegue racionar direito.

Eles não teriam como modificar resultados, caso fosse essa a intenção.

Daria muito na cara.

É, realmente, daria muito na cara. É cada uma.

O que realmente as pessoas têm que aprender é que, numa democracia, a cada eleição a gente perde ou ganha. Acontece. É que nem no futebol. Quando a gente perde, tem que descobrir porque perdeu. Muitas vezes é porque o fanatismo cega tanto que impede de ver as qualidades do outro lado. Simples assim. Mas é mais fácil culpar a “ignorância” das pessoas do que reconhecer seus próprios erros.


Espalhe a idéia…

Talvez seja nossa única chance…

Ó, que drama! O mundo vai acabar! Como é que ainda não acabou nos 8 anos do Lula?

Como é que o cara tem 80% de aprovação? Ah, claro, de novo a manipulação das pesquisas. Pesquisa é científica, feita com base em levantamento estatístico. Pode manipular? Pode. Só que como fica a credibilidade dos institutos que a fazem? Todo mundo quer acertar o resultado, ninguém quer pagar mico eleitoral. Só existem duas coisas que as pessoas não entendem em pesquisa:

1) Existe uma margem de erro, para mais ou para menos, porque pesquisa é feita por amostragem, não daria para entrevistar todo mundo.

2) Ela capta o sentimento das pessoas naquele instante. 2 dias depois pode não ser o mesmo.

Bom voto domingo e aceitem o resultado, seja ela qual for, na esfera que for. Perder é da vida. E a gente aprende com isso. Claro, se estiver com a mente aberta para tal.

Deixe um comentário

Arquivado em bobagens, coisas para refletir, terrorismo eleitoral

Ditos populares

E a gente pensa que repete corretamente os ‘ditos populares’…

Nossa Língua Portuguesa
Profº Pasquale Cipro Neto

No popular se diz: ‘Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho carpinteiro’
Correto: ‘Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro’
EU NÃO SABIA. E VOCÊ?

Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.’

Enquanto o correto é: ‘ Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão.’

‘Cor de burro quando foge.’
O correto é:
‘Corro de burro quando foge!’

Outro que no popular todo mundo erra:
‘Quem tem boca vai a Roma.’
O correto é:
‘Quem tem boca vaia Roma.’ (isso mesmo, do verbo vaiar).

Outro que todo mundo diz errado,
‘Cuspido e escarrado’ – quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa.
O correto é:
‘Esculpido em Carrara.’ (Carrara é um tipo de mármore)

Mais um famoso… ‘Quem não tem cão,caça com gato.’
O correto é:
‘Quem não tem cão, caça como gato…ou seja, sozinho!’

Vai dizer que você falava corretamente algum
desses?

2 Comentários

Arquivado em bobagens

Perguntas

Duas perguntas difíceis:

1) Se você conhecesse uma mulher grávida, que já tivesse 8 filhos,
dois dos quais surdos, os outros dois cegos e um retardado, e ela tivesse
sífilis, você recomendaria que ela fizesse um aborto? 
Leia a próxima pergunta antes de responder a esta.

2) Está na hora de eleger um novo líder mundial, e você tem direito
a voto. Aqui estão algumas informações sobre os três candidatos:
Candidato A – Está associado a políticos corruptos, e consulta
astrólogos. Já teve duas amantes. Fuma como uma chaminé e bebe de 8 a 10
martinis por dia.
Candidato B – Já foi despedido de dois empregos, costuma dormir
até 
o meio-dia, usava ópio na universidade e bebe um quarto de uma garrafa de
whisky todas as noites.
Candidato C – Ele é um herói de guerra ! Condecorado . É
Vegetariano, não fuma, bebe uma cerveja ocasionalmente e nunca teve
nenhuma 
relação extra-conjugal.
Qual destes candidatos você escolheria?
Qual é sua resposta ?
Pensou bem ? Veja mais em baixo as consequências.

Candidato A: é Franklin D. Roosevelt.
Candidato B: é Winston Churchill.
Candidato C: é Adolph Hitler.

Ah! E a resposta para a pergunta do aborto:
Se você disse sim, acabou de matar Beethoven!
Interessante, né? 
Faz a gente parar para pensar antes de julgar os outros.

 

N.B.: Cada pessoa é diferente da outra, embora elas sejam relativamente agrupáveis dentre de alguns parâmetros básicos (tipo homem e mulher) e sejam, por consequencia, previsíveis. Isso, no entanto, não faz com que todas reajam da mesma maneira a diferentes situações da vida. 

1 comentário

Arquivado em bobagens

Camões

O vestibular da Universidade da Bahia cobrou dos candidatos a interpretação do seguinte trecho de Camões:


‘Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente,
é um contentamento descontente,
dor que desatina sem doer ‘.


Uma vestibulanda de 16 anos deu a sua interpretação :


‘Ah, Camões!, se vivesses hoje em dia,
tomavas uns antipiréticos,
uns quantos analgésicos
e Prozac para a depressão.
Compravas um computador,
consultavas a Internet
e descobririas que essas dores que sentias,
esses calores que te abrasavam,
essas mudanças de humor repentinas,
esses desatinos sem nexo,
não eram feridas de amor,
mas somente falta de sexo!’

A Vestibulanda ganhou nota DEZ, pela originalidade, pela estruturação dos versos, e das rimas insinuantes.

Foi a primeira vez que, ao longo de mais de 500 anos, alguém desconfiou que o problema de Camões era apenas falta de mulher.

 

N.B.: Tá com cara de “bobagem”… Ninguém daria um 10 para tamanha idiotice.

Deixe um comentário

Arquivado em bobagens

A galinha

Numa granja, uma galinha se destacava entre todas as outras por seu espírito de aventura e ousadia. Não tinha limites e andava por onde queria. O dono, porém, estava aborrecido com ela. Suas atitudes estavam contagiando às outras, que já a estavam copiando.

Um dia o dono fincou um bambu no meio do campo, e amarrou a galinha a ele, com um barbante de dois metros. O mundo tão amplo que a ave tinha foi reduzido a exatamente onde o fio lhe permitia chegar. Ali, ciscando, comendo, dormindo, estabeleceu sua vida. De tanto andar nesse círculo, a grama dali foi desaparecendo. Era interessante ver delineado um círculo perfeito em volta dela. Do lado de fora, onde a galinha não podia chegar, a grama verde, do lado de dentro, só terra.

Depois de um tempo, o dono se compadeceu da ave, pois ela, tão inquieta e audaciosa, era agora uma apática figura. Então a soltou.

Agora estava livre! Mas, estranhamente, a galinha não ultrapassava o círculo que ela própria havia feito. Só ciscava dentro do seu limite imaginário. Olhava para o lado de fora, mas não tinha coragem suficiente para se aventurar a ir até lá. E assim foi até o seu fim.

Nascemos tendo nossos horizontes como limite, mas as pressões do dia-a-dia fazem com que aos poucos nossos pés fiquem presos a um chão chamado rotina. Há pessoas que enfrentam crises violentas em suas vidas, sem a coragem de tentar algo novo que seja capaz de tirá-las daquela situação. Admiram os que têm a ousadia de recomeçar, porém, elas próprias buscam algum culpado e vão ficando dentro do seu “círculo”.

O mercado sempre coroa com reconhecimento aqueles que inovam, criam, chamam a atenção.

O segredo do sucesso está na criatividade. Criar é pôr em prática algo que não existe. É correr o risco. Isto é fato, mas como se poderá saber o final da história se não se caminha?

 

N.B.: “A vida não é, se não correr o risco.” (Letra e Música, Luciano Pestano)

Deixe um comentário

Arquivado em coisas para refletir, filosofia de vida